A nova coleção AKINARRA

Neste mês de maio chegam às livrarias os dois primeiros títulos de AKINARRA, uma coleção de breves romances ilustrados com capa dura, pensados para rapazes e raparigas a partir dos 9 anos. Muda o formato em relação aos álbuns ilustrados e a proporção entre o texto e as imagens, mas a filosofia de fundo e a atenção aos detalhes permanecem constantes.

A praia dos inúteis, um delicioso romance escrito por Alex Nogués e ilustrado por Bea Enríquez, constitui um elogio à inutilidade numa sociedade utilitarista, consumista e apressada. Trata-se do diário de uma menina de 6º ano de primária carregado de humor e sinceridade, com fragmentos de grande profundidade filosófica. O livro começa com uma declaração de princípios: «Chamo-me Sofia. Tenho onze anos e meios, e quando for grande quero ser inútil».

O pai da Sofia está muito decepcionado com ela por ter reprovado a matemática e porque, em breve, terá de «ganhar a vida». Mas ela prefere falar-lhe de Mozart ou de Kandinsky, das minhocas ou das misteriosas personagens que vai encontrando na praia durante o inverno, quando lá vai brincar com os seus amigos, em bicicleta. Diante de uma inocência e uma clarividência tão grandes, toda a família acabará por transformar-se e procurar novas maneiras para viverem mais felizes. Porque são as coisas aparentemente inúteis as que conferem sentido a tudo.

Marinheiro em terra firme é um relato breve e profundo inspirado numa história real. Escrito por Laia de Ahumada e ilustrado por Gemma Capdevila, descreve o primeiro verão do Jan na montanha, sozinho com a avó, depois de ter passado toda a vida num veleiro com os pais. Agora terá de descobrir os segredos da terra, ele que conhece tão bem os do mar.

A alternância entre os diálogos, as descrições e as anotações num diário pessoal — o seu «diário de bordo», que a mãe lhe ofereceu antes de partir para rescatar refugiados no Mediterrâneo — permite captar os sentimentos mais escondidos do Jan, um rapaz que está quase a entrar na secundária, com vontade de deixar para trás a infância para entrar em cheio na idade das decisões.

Dois romances curtos, poéticos e profundos para despertar as consciências, provocar debates e fazer crescer o amor pela literatura.